Com a Páscoa e esse momento de quarentena, fiquei refletindo sobre nossa relação com o ato de se alimentar…⠀

Comer é algo natural, comer faz parte do nosso dia a dia e como eu já falei em outros posts se tudo correr bem a ideia é que a gente continue a se alimentar TODOS os dias das nossas vidas. ⠀

Logo, acredito que precisamos pensar sobre como podemos ser mais gentis consigo mesmo e como irmos construindo dia a dia uma relação mais leve. ⠀

Então, o que fazer? Bom, pra começar acho que o primeiro e mais importante passo é: REFLETIR.⠀

Sair do automático, sair da repetição, sair do discurso que está tão internalizado de que existem alimentos bons e ruins, de que existem dias autorizados e não autorizados para se comer, de que existem quantidades determinadas que ignoram a nossa subjetividade, o nosso desejo, a nossa fome e até mesmo o nosso estado emocional e pensarmos então sobre nós mesmos, sobre o que acontece dentro de nós tanto no sentido biológico quanto emocional.⠀

É preciso se acolher e com isso se responsabilizar por uma construção de uma relação única e individual com os alimentos. ⠀

Uma relação consigo mesmo que procura ouvir a si mesmo, que segue o caminho de perceber as emoções e trabalha para não se deixar dominar pela ansiedade, que procura entender que nem tudo é da ordem do resolver ou “estancar”, mas que muitas coisas são da ordem do ir reconhecendo, atravessando e construindo uma forma de atravessar.⠀

Que sabe aproveitar os alimentos e ouvir a própria saciedade e não acaba permitindo que os alimentos sejam uma suposta forma de estancar as emoções que por vezes são assustadoras e que parecem então mais fáceis de serem vividas se estão em “silêncio” por que estamos ocupados com outras coisas – e isso serve não só para a comida… Mas tudo aquilo que vem para tentar resolver aquilo que não é necessariamente da ordem do resolver, mas do viver e do cuidar.⠀

Comer é mais do que se nutrir biologicamente, comida é conexão, é relacionamento, é história, é compartilhar. E quando esquecemos disso a verdade é que entramos em um automatismo que trata tudo isso como se fosse a gasolina que entra no carro para ele funcionar e nada mais! Você já parou para pensar nisso?⠀

Logo porto a segunda parte do que acabei refletindo sobre o assunto.⠀

Enquanto isso, me conta aqui um pouquinho do que você pensa sobre tudo isso! ❤️⠀